1 de fevereiro de 2014

Dois anos em Andrómeda

Comecemos hoje pelo fim, que é como quem diz: pelo agradecimento aos leitores do Viagem a Andrómeda pelas visitas, pelos comentários no blogue e pelo feedback pessoal, e, enfim, pela companhia nestas lides virtuais. Nestes dois anos - pois é disso que se trata, o blogue assinala hoje o seu segundo aniversário, ou, se preferirem, o seu segundo movimento de translação completo -, foram bem mais do que pensava virem a ser quando comecei a viagem.

Ainda não será neste ano que teremos uma festa para assinalar a efeméride, mas o balanço da praxe decerto não ficará mal. Vejamos: ao longo destes dois anos, foram publicados aqui 1032 artigos, que geraram quase 1100 comentários (metade são da minha autoria; é política da casa, como já terão reparado, não deixar comentários sem resposta). Em termos de pageviews, o blogue está quase a chegar às 93 mil, o que é um belo número - e bem mais elevado do que alguma vez pensei possível. Na sua essência, este é um blogue pessoal e amador, sem grandes metas para além de me dar algum gozo, e de me permitir manter um módico de rotinas numa época especialmente difícil.

O programa para o próximo ano será muito semelhante ao dos dois anos anteriores: continuar a escrever, com mais ou menos regularidade (acreditem: este blogue é actualizado de forma irregular; o facto de ter um artigo novo praticamente todos os dias, por curto que seja, é pura coincidência), sobre o que se vai fazendo na fantasia e na ficção científica em vários formatos, e também sobre a fantasia e a ficção científica que vou descobrindo - tenha cinco dias ou cinquenta anos. O objectivo de escrever mais coisas próximas do registo da crónica mantém-se, até porque não o fiz tanto como gostaria, e há a intenção um pouco vaga de dar um pouco mais de atenção à ficção científica que se vai publicando por cá - mas sem compromissos, como é costume. O resto, logo se verá.

Uma vez mais, o meu obrigado. A programação normal segue dentro de momentos


13 comentários:

Loot disse...

Muitos Parabéns

Espero que este blog complete muitos mais movimentos de translação :P

Rui Bastos disse...

Parabéns!

Pode ser que um dia destes a blogosfera comece a reagir aos textos uns dos outros, acho que isso é que te ia deixar feliz ;)

Rui Bastos disse...

P.S.: quem me dera ser tão irregular como tu a actualizar, eu publico muito menos e nunca tenho tempo!

Jorge Teixeira disse...

Muitos Parabéns. Este blogue já é uma autêntica referência no seio da ficção científica e na fantasia no que diz respeito ao Cinema, mas não só. Continua, sendo que, como sabes, tens aqui um leitor assíduo (apesar de muitas vezes silencioso).

Cumprimentos,
Jorge Teixeira
Caminho Largo

João Campos disse...

Loot e Jorge, obrigado pelas palavras simpáticas e, acima de tudo, pela excelente companhia nestas lides da bloga.

Rui, de facto ficaria bastante contente se os debates, quando os há, deixassem a efemeridade das redes sociais e regressassem aos blogues. Infelizmente, duvido que tal venha a acontecer.

Quanto a isso das actualizações, bom, é um misto de muito tempo livre com muita dedicação. Acredita que dá trabalho; já foram muitas as noitadas a ver um filme de propósito para ter aqui o texto habitual à Terça. Mas lá está: quem corre por gosto... (e obrigado)

artur coelho disse...

E para o ano cá estaremos a apagar a terceira vela! keep up the stellar work (pun intended)!

João Campos disse...

Assim espero, meu caro. E obrigado!

André Pereira disse...

Parabéns, João! Mereces pelo blogue espectacular. Sem o teu, o Per Nebulae não existia, foi, de certa forma, uma inspiração e é sempre bom conhecer gente com os mesmos gostos.

Continua :D

João Campos disse...

Muito obrigado, André (por esta e por outras). Cá continuaremos a divulgar esses gostos.

FilmPuff disse...

Obrigada nós. Seguidora de há muito mas isso já tu sabes. :)

João Campos disse...

Ora essa, às ordens (e sim, bem sei - uma vez mais, obrigado!).

Luís Filipe Silva disse...

Parabéns atrasados. Um dia tens de juntar isto tudo num livro.

João Campos disse...

Por acaso nunca fui grande apologista dessa moda de há uns anos de blogues-que-passam-a-livro. Acho que a coisa não é exportável. E não sei se quereria publicar em papel a maior parte dos textos do primeiro ano do blogue...

(obrigado!)