1 de fevereiro de 2013

Um ano em Andrómeda

É curioso celebrarmos os aniversários. Na prática, um aniversário significa apenas uma volta completa em torno de Sol. Um movimento de translação concluído, portanto. A coisa até terá lógica se pensarmos que marcamos a passagem do tempo e medimos a duração das nossas vidas em anos (nas tais voltas completas). Nesse sentido, o Viagem a Andrómeda acaba de completar a sua primeira volta ao Sol, o que equivale a dizer: faz hoje um ano. Não vou fazer uma festa, entenda-se, mas vou aproveitar para fazer um balanço do que foram os últimos doze meses neste blogue.

Em primeiro lugar, começo por recordar que, quando criei o Andrómeda, escrevi ali ao lado "não será um blogue inteiramente regular - o tempo é um bem muito escasso"; passado um ano, reparo que este é o 534º artigo publicado no blogue. Em termos estatísticos, a coisa traduz-se numa média de quase um artigo e meio por dia, com Março e Novembro de 2012 e Janeiro de 2013 a serem os meses com mais actualizações. Em termos práticos, isto dá muitos mais artigos do que alguma vez pensei vir a escrever neste blogue em apenas um ano, ainda que bissexto. Na verdade, dá muitos mais artigos do que pensei ser capaz de escrever neste blogue, o que acabou por contradizer o princípio original. Não que isso seja um problema. Longe disso - quanto muito, servirá de salvaguarda para os dias em que um trabalho ou a preguiça levem a melhor. 

Em segundo lugar, este blogue superou em larga medida as minhas expectativas em termos de visitas e de leitores. Num ano, o Viagem a Andrómeda teve mais de 36 mil pageviews - o que até pode não ser muito, mas que é muito mais do que as minhas mais optimistas expectativas há um ano. Durante este tempo, houve mais de 250 comentários (na verdade, houve mais de 500, mas tenho o hábito de responder quase sempre), e um número muito reduzido de trolls a registar. O feedback que obtive tanto em comentários como pessoalmente foi também muito positivo. O que, diga-se de passagem, é muito bom, sobretudo dada a natureza amadora, pessoal e mais ou menos descomprometida deste projecto. 

No resto, o blogue está de boa saúde, e o objectivo para o segundo ano passa em termos gerais por continuar a fazer o que foi feito durante o primeiro: muitos conteúdos sobre o Fantástico na literatura, no cinema, na televisão, na banda desenhada e nos videojogos, sempre com o meu cunho pessoal (o blogue é, afinal, um blogue pessoal, ainda que temático). E, claro, com a regularidade que me for possível. Os artigos sobre cinema às Terças e sobre um livro ou contos às Sextas também serão para manter, tal como as breves citações dominicais.

Há, porém, um registo que anda a faltar  neste blogue: a crónica. O que não deixa de ser curioso, pois poucas plataformas são tão práticas para a crónica como o blogue, e sempre me deu imenso prazer escrever naquele registo mais ou menos livre que só a crónica permite. Como me conheço de ginjeira e sei que a minha inspiração tende para a volatilidade, não vou avançar com uma crónica semanal (ou algo do género) aqui no blogue. Mas aproveitando o primeiro aniversário do Viagem a Andrómeda, passarei a publicar com uma regularidade irregular alguns textos temáticos mais ou menos livres. A começar nos próximos dias.

E como a prosa já vai longa, resta-me agradecer aos leitores as visitas, os comentários e o incentivo ao longo do último ano. 

4 comentários:

Célia disse...

Descobri este blogue há pouco tempo, mas gosto bastante. Parabéns e que continues por muito tempo :)

João Campos disse...

Obrigado! Espero continuar :)

FilmPuff disse...

Cutxi, cutxi. Obrigada nós!

João Campos disse...

Ora essa, sempre às ordens :)