2 de fevereiro de 2014

O som e a fúria (11)

Hoje com um ligeiro atraso (dia longo). Na música alternativa das últimas duas décadas, o nome de Björk será sem dúvida um dos mais destacados - a cantora islandesa construiu uma carreira notável pela enorme diversidade de influências, de estilos e de sonoridades com que constrói as suas músicas, dando forma a um todo inimitável. Como esta All Is Full of Love, do álbum Homogenic, de 1997 - com um vídeo magnífico realizado por Chris Cunningham.

4 comentários:

Fyredrake disse...

Gosto da Bjork; costuma ter videos interessantes, este faz-me sempre lembrar o Ghost in the Shell.

João Campos disse...

Bem visto :)

FilmPuff disse...

Tenho ouvido tanto isto nos últimos meses... Estes "bichinhos" estão em todo o lado, "Ghost in the Shell" claro, mas, "Doomsday Book", "I Robot"...

João Campos disse...

Referes-te ao "Doomsday Book" da Connie Willis?