19 de dezembro de 2012

A legendagem de The Hobbit: An Unexpected Journey

Sobre The Hobbit: An Unexpected Journey, há um problema sério que omiti no meu artigo de ontem por considerar que não é um problema do filme em si, mas sim da exibição do filme em Portugal: a legendagem. Não fixei o nome dos responsáveis pelas legendas, mas mereciam ser cozinhados pelos Trolls; a avaliar pelas legendas, percebeu-se que não só não fizeram qualquer trabalho de casa, como também não se preocuparam muito em confirmar os termos próprios do imaginário de Tolkien. O resultado é, por isso, vergonhoso e miserável (como se o flagelo do Acordo Ortográfico não fosse já suficiente). Alguns exemplos:

1) Nas linguagens élficas, a Montanha Solitária tem o nome de Erebor. Nas legendas portuguesas, porém, Erebor apareceu sempre como... Eriador. Ora acontece que, no universo de Tolkien, Eriador é o nome que é dado ao território situado a Leste das Montanhas Azuis e a Oeste das Montanhas Nebulosas. Isto não é um preciosismo linguístico; é uma confusão indesculpável que só pode ser explicada se admitirmos que os responsáveis pelas legendas não se deram sequer ao trabalho de ler um resumo da história na Wikipedia (quando deviam ter lido pelo menos uma vez o livro no qual o filme se baseia). 

2) Azog the Defiler foi traduzido como Azog o Gnomo. Dispensa comentários.

3) Durante o encontro de Gandalf com Radagast, este fala do seu encontro com as aranhas gigantes de Mirkwood, descrevendo-as como the spawn of Ungoliant. Nas legendas portuguesas, porém, recorrem a uma expressão idêntica a filhas de ungoliant, ou filhas de uma ungoliant. Faltou, uma vez mais, o trabalho de casa, pois Radagast não refere Ungoliant por acaso. Para resumir a coisa sem entrar muito nos acontecimentos de The Silmarillion,  Ungoliant é a terrível aranha gigante da Primeira Era da qual descendem todas as grandes aranhas da Terra Média - desde as aranhas gigantes de Mirkwood até Shelob.

4) A tradução de Dol Guldur como "Monte ao Sul" não é de todo precisa - foi utilizada na tradução portuguesa dos livros de Tolkien, ou também aqui as legendas meteram água?

Julgo que estes bastam para dar uma ideia do desastre - mas se alguém encontrou mais disparates de legendagem no filme, sinta-se à vontade para os partilhar. 

6 comentários:

Thanatos disse...

Um elemento dos Tolkienianos foi convidado pela ZON para ver a cópia antes do lançamento e chamou a atenção para esses disparates. Infelizmente as cópias no cinema já não serão corrigidas. As correções aparecerão nas edições de DVD e Blu-ray.

João Campos disse...

Heh. Sem surpresas. Fica para a memória o péssimo trabalho.

Jorge Teixeira disse...

Também reparei inevitavelmente nesses erros, crassos e muito infelizes de facto. Então essa de Eriador é gritante mesmo...

Cumprimentos,
Jorge Teixeira
Caminho Largo

João Campos disse...

Como disse, era mandar os tradutores serem cozinhados pelos Trolls.

Cumprimentos

André Pereira disse...

Tenho de comentar este post genial, como tradutor de profissão e conhecedor q.b. de Tolkien, tive vários ataques cardíacos a ler aquelas legendas. Cheguei ao ponto de as ignorar completamente, daí não ter fixado o nome dos artolas responsáveis, mas agradeço a quem saiba porque quero mesmo enviar um mail a explicar uma coisa ou outra...

Nossa Senhora...

João Campos disse...

Também não fixei. A coisa foi demasiado atroz. Mas mandava de bom grado uma ou duas bofetadas por correio :)